Efeitos da cafeína na força do corpo superior e inferior
Em um artigo recente eu cobri um estudo interessante que encontrou cafeína não melhorou o recrutamento de unidade motora ou o cresimento do bíceps. Eu notei a falta de resultados poderia ter sido devido a muito pouco músculo massa estudada. Um recente Journal of Strength and Conditioning Research estudo explorado este tema em maior comprimento.

O raciocínio por trás do novo estudo é que o impacto da cafeína sobre a musculatura pode atingir significância apenas em grandes grupos musculares ou quando usado ao longo do tempo. Em longos esforços como o treinamento de resistência, a cafeína é unanimemente uma ajuda ergogênica. No entanto, nos ensaios de força e força os efeitos são menos claros.

cafeina-para-dar-forca
Se a principal área de influência da cafeína é o sistema nervoso, então é óbvio que os músculos com um maior número de unidades motoras serão mais influenciados por ele. Os autores abordaram esta questão e esperavam esclarecer alguma confusão do passado na pesquisa.

Participaram do estudo 16 jovens treinados de forma recreativa. Eles foram escolhidos em parte porque nenhum deles eram pesados consumidores habituais de cafeína. Em média, eles consumiram 300mg de cafeína ou menos a cada dia, o que equivale a um par de xícaras de café.

Durante o teste, cada um dos sujeitos consumiu 6 mg de cafeína por quilo de peso corporal. Para um homem 200lb isso seria cerca de 540mg de cafeína. Em outra ocasião, eles consumiram um placebo em vez disso. A ordem dos testes foi randomizada. Trinta minutos após a ingestão de cafeína, a contração voluntária máxima de cada participante foi registrada para os quads, bezerros, bíceps e flexores do punho.

 

Resultados – Cafeina para dar força

 

A cafeína melhorou significativamente o torque máximo para todos os grupos musculares do corpo superior e inferior. Embora o recrutamento de unidades motoras não pareça ser significativo no estudo anterior mencionado acima, neste novo estudo pareceu funcionar mesmo para os flexores do bíceps e do punho, que eram os menores dos músculos estudados. Houve uma tendência para maiores músculos ganhando um maior benefício da cafeína, mas não atingiu significância.

Os resultados para melhoria quando se utiliza cafeína em vez de placebo foram os seguintes, em ordem do maior grupo muscular para menores.

Quadris: 13,7%
Panturrilhas: 11,2%
Bíceps: 9,1%
Flexores do pulso: 6.3%

Esses resultados sugerem que minha hipótese no artigo anterior estava correta. Seja qual for a causa exata da melhora no desempenho de força da ingestão de cafeína, uma pequena diferença acrescenta mais fibras musculares que você usa.