Um estudo sobre o Forskolin

Forskolin é ainda outro extrato vegetal presente no mercado de suplementos, sendo comparado com anabolizantes reais por pelo menos uma empresa. O potencial da substância é visto pela maioria na sua capacidade de ativar o ciclo adenilil, que por sua vez divide as moléculas de ATP em AMP cíclico e pirofosfato. CAMP tem seus dedos em todos os tipos de processos metabólicos e relacionados com proteínas, e é um tema quente para todos os tipos de dieta, saúde e pesquisa esportiva.

A habilidade de Forskolin de finalmente pôr em marcha cAMP é forte o suficiente para que seja um grampo de laboratório para estudar cAMP. Alasbahi e Melzig’s  consideram Forskolin e derivados como ferramentas para estudar o papel de cAMP é um documento de revisão dedicado especificamente ao tópico.

Forskolin - Efeitos e beneficios

Enquanto eu comecei a ouvir sobre forskolin como um suplemento à base de pílula, seu uso bem sucedido como um tratamento de perda de peso veio em 1987, quando demonstrou alguma capacidade quando aplicado topicamente como um creme. Desde então, forskolin e seus extratos tornaram-se um grande negócio para os fabricantes de suplementos. Parte da razão foi a liberação de vários estudos mostrando o suplemento melhorar a composição corporal, particularmente um estudo de doze semanas de Godard et al. Publicado em Obesity Research 2005. O estudo foi um olhar in vivo sobre os efeitos do composto sobre os homens, e demonstrou que a substância caiu porcentagens de gordura corporal, enquanto impulsionar a produção de testosterona.

Existem importantes ressalvas para o mais emocionante dos estudos de composição corporal. Uma ressalva é que a maioria (incluindo Godard) foram financiados por companhias de suplementos produtores de forskolina, e alguns foram confundidos pelo uso de funcionários da empresa e open-labeling (ou seja, os ensaios não eram cegos.) É difícil não ser cético de um produto que demonstra os resultados mais comercializáveis em ensaios patrocinados pelas pessoas que estão a ganhar o máximo desta comercialização.

Dito isto, também é importante afirmar aqui que eu não acho que estamos necessariamente olhando para os resultados fraudulentos em todos esses casos, especialmente com Godard, como seu trabalho posterior não foi quase tão favorável; Pode ser o caso que ele não foi totalmente honesto devido a população da amostra à constituição do suplemento do forskolin próprio. Outros estudos igualmente positivos usaram meios questionáveis, tais como dispositivos de impedância para rastrear alterações na composição corporal.

 

Outra advertência é que esses sucessos não foram duplicados. Estudos de mulheres não mostram quase nenhum impacto do suplemento, e estudos mistos não indicam qualquer diferenciação de gênero. O que os estudos subsequentes faltaram nos resultados da composição de corpo, entretanto, fizeram acima com a evidência interessante dos benefícios de saúde além da perda simples do peso. Lumping e seus resultados em conjunto, afirmaram que forskolin parecia estimular a redução do apetite, melhorar a sensibilidade à insulina e reduzir a hipertensão.

O papel de Forskolin na produção de AMPc, o seu efeito provável sobre as vias de insulina e uma série de outros efeitos podem estar ligados a estes resultados. (Uma nota lateral é que o seu impacto sobre a insulina no músculo poderia hipoteticamente prejudicar a síntese de proteínas.)

 

Um efeito secundário distinto de forskolin é a sua aparente capacidade de aumentar a retenção de água nos intestinos, o que por sua vez leva a fezes mais macias, semelhante ao que você pode experimentar se tomar um suplemento de fibra ou amaciante de fezes não-laxante. Dado que nenhum estudo apresenta análises rigorosas do gasto calórico e dos fatores digestivos, existe a possibilidade de que esse efeito desempenhe um papel na eficácia do forskolin.

O aumento da massa intestinal poderia ser um fator na redução da ingestão de alimentos, estimulando um sentimento completo, enquanto simultaneamente aumentando a taxa de passagem de alimentos no intestino, o que poderia reduzir a absorção de calorias. Uma vez que estes dois mecanismos são pensados para ser parte do porque aumento da ingestão de fibra dietética pode induzir perda de peso, é razoável pensar que há um potencial de impacto semelhante. Um contraponto a esta teoria é que os efeitos do bowel podem ser atribuíveis a um aumento na produção do ácido do estômago, que não carregaria os mesmos benefícios; Eu não acho que a evidência é tão forte aqui, e inclinar-se para a “retenção de água” explicação.

Em última análise, qualquer avaliação de forskolin vai ser dificultada pelo número limitado de estudos realizados: pela minha contagem, existem cerca de cinco que interessam entusiastas do corpo e / ou pessoas que procuram benefícios de saúde. E essas avaliações, por sua vez, serão dificultadas pela falta de congruência entre suplementos aparentemente semelhantes (uma característica inerente à indústria de suplementos) e as despesas e conhecimentos necessários para garantir que os compostos experimentais sejam o que eles dizem que são.

Com isso em mente, forskolin é um suplemento intrigante por causa de seus benefícios potenciais de saúde, mas o papel possível de adulterantes e contaminantes não pode ser totalmente ignorado. Eu me sinto seguro em ignorá-los parcialmente só porque os “aditivos” habituais geralmente não ajudam com problemas de saúde.

Muito menos encorajador do forskolin é sobre sua capacidade de impacto composição corporal. Certamente, os benefícios de saúde poderiam potenciar ou tendência em mudanças estéticas, embora esta é uma suposição. Se você está indo para tentar forskolin como suplementos, a minha recomendação é seguir o modelo apresentado no primeiro papel de Godard: ser um eficaz com um homem com sobrepeso, apenas.

Leitura recomendada

Godard, M.P., B.A. Johnson, e S.R. Richmond. “Composição corporal e adaptações hormonais associadas ao consumo de forscolina em homens obesos e com excesso de peso”, Obesity Research, 13 (8): 1335-1343, 2005.
Godard, M.P. E B.A. Ewing. “Composição Corporal e Adaptações Hormonais Associadas ao Consumo de Forskolin em Mulheres com Sobrepeso e Obesidade.” Medicina e Ciência no Esporte e no Exercício, 41 (5) Supplement: S556, May 2009
Henderson, Shonteh et ai. “Efeitos da Coleção de Coleus Forskohlii na Composição Corporal e Perfis Hematológicos em Mulheres com Sobrepeso Leve”. Jornal da Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva 2.2 (2005): 54-62. PMC. Rede. 29 de fevereiro de 2016.
Loftus, Hayley L. et ai. “Coleus Forskohlii extrato suplementação em conjunção com uma dieta hipocalórica reduz os fatores de risco de síndrome metabólica em excesso de peso e obesos Sujeitos: um ensaio controlado randomizado.” Nutrientes 7.11 (2015): 9508-9522. PMC. Rede. 29 de fevereiro de 2016.