Para perder gordura corporal, você deve diminuir sua ingestão de gordura dietética. A gordura contém mais de duas vezes as calorias por grama de proteína ou carboidrato. Além disso, o corpo usa menos calorias para metabolizar a gordura. O efeito líquido é que a gordura é o nutriente mais engordativo. Algumas pesquisas ainda mostram que sua cintura é um reflexo direto de sua ingestão de gordura.

Uma questão relevante é: Qual é a melhor porcentagem de ingestão de gordura dietética para a perda de gordura corporal eficaz? A maioria dos fisiculturistas que têm baixos níveis de gordura corporal permanecem em dietas de baixo teor de gordura durante todo o ano, embora diminuam a ingestão de gordura antes de um concurso. Um típico  bodybuilding tem em sua dieta 5 a 10 por cento de gordura, que é o mesmo nível de ingestão de gordura recomendado as pessoas comuns para  prevenção de doenças cardiovasculares.

Recomendação de gordura boa para emagrecer

Os problemas com estas dietas envolvem palatabilidade e valor de saciedade. Extremas dietas sem gordura, em que 10 por cento ou menos das calorias vêm de gordura, são difíceis para a maioria das pessoas de seguirem. Para muitos, comer gordura é a única maneira que eles podem satisfazer seus apetites. O que torna isso ainda mais desafiador é que quando as pessoas obesas estão fazendo dieta, suas células de gordura enviam sinais químicos para o centro do apetite em seus cérebros, causando um tipo de fome de gordura.

É realmente necessário se matar em uma dieta extremamente baixa de gordura para perder gordura corporal? Pesquisadores da Universidade Brigham Young em Provo, Utah, estavam curiosos sobre isso. Para encontrar o nível ideal de ingestão de gordura para a perda de gordura, eles colocaram 48 mulheres obesas em dietas de 1.200 calorias diárias que variavam apenas no teor de gordura.

A porcentagem de proteína foi de 20 por cento em todas as dietas, mas a gordura variou entre 10, 20, 30 e 40 por cento do total de calorias. As mulheres também exerceram cinco dias por semana durante todo o período de 12 semanas de duração do estudo.

Os resultados não mostraram diferenças na perda de gordura corporal entre os grupos. Isso indica que para a perda de peso eficaz, você deve prestar atenção à sua ingestão calórica diária total. Ainda é uma questão de consumir menos calorias do que você queima.

Queimando gordura em repouso

A gordura só queima na presença de oxigênio, o que explica porque o exercício aeróbio é melhor para a oxidação, ou queima de gordura. Em repouso, a maioria das pessoas queima porcentagens iguais de açúcar e gordura, mas como eles ficam mais aerobicamente aptas, elas queimam mais gordura, mesmo quando eles estão em repouso? Mesmo sob condições ótimas, os seres humanos queimam apenas 30 a 60 por cento dos ácidos graxos liberados em seu sangue, com o restante vai direito de volta para o armazenamento em células de gordura.

Um novo estudo da Universidade de Vermont explorou esta questão. O estudo envolveu 14 mulheres e 12 homens entre 18 e 29 anos. Os sujeitos foram divididos em grupos aeróbios e sedentários, e os pesquisadores testaram a capacidade de queima de gordura dos sujeitos 48 horas após uma sessão de exercícios.

Os resultados mostraram que o grupo sedentário teve uma maior taxa de entrega de gordura do que o grupo de ajuste quando em repouso, mas os pesquisadores também descobriram que as pessoas se encaixam queimar gordura na mesma taxa que as pessoas impróprias fazem. Uma vez que este estudo mediu a aparência de gordura no sangue, pessoas em forma podem simplesmente incorporar a gordura liberada em seus músculos mais rápido. Pesquisas recentes, por exemplo, indicam que o tecido muscular de pessoas em forma mostra uma maior absorção de gordura não explicada por mais gordura circulando no sangue. Acredita-se que o mecanismo seja um aumento de uma proteína de ligação a ácido gordo da membrana celular no músculo.

Em termos simples, isso significa que pessoas impróprias liberam mais gordura em repouso, mas as pessoas aptas são queimadores de gordura mais eficazes.

Taurina: Nova Ajuda Ergogênica?

Você pode ter lido sobre taurina, um aminoácido que algumas pessoas estão promovendo para aumentar os efeitos anabólicos no músculo. Até recentemente, a maior publicidade gerada sobre taurina envolvido seu ser exigido em dietas felinas. Para seres humanos, as descobertas relativas aos efeitos benéficos da taurina são menos impressionantes. Isto é provavelmente porque tanrine é um enxofre contendo aminoácido que o corpo pode fazer enquanto uma quantidade suficiente do aminoácido cisteína está presente.

A revista Amino Acids relatou recentemente um estudo alemão envolvendo um produto à base de taurina chamado Red Bull. Além da taurina, a Red Bull também contém cafeína e um composto glicose-lactato. No estudo 10 atletas de endurance consumiram três versões diferentes da bebida, algumas sem a taurina adicionada.

Os resultados mostraram que o grupo que bebe Red Bull original, com os três ingredientes ativos mostrou significativamente menor frequência cardíaca dentro de 15 minutos de exercício, bem como uma diminuição da liberação de hormônios do estresse chamado catacolaminas. O achado mais impressionante, entretanto, foi que o grupo taurino apresentou resistência muscular aumentada. Os pesquisadores concluíram que, ao ajudar a modular as respostas ao estresse durante o exercício, a taurina pode aumentar a resistência.